quinta-feira, 9 de julho de 2009

A Solidão do Poeta...












(...)


A solidão do poeta
é ter a humanidade
inteira, no seu peito.
Sobre o berço de seu filho
chora a inocência

que o novo ser perderá
- a inocência primordial
que perdemos, ao ingressar
na noite escura da alma
do mundo dos adultos.

O coração do poeta
Abre as portas para tudo.

II

O poeta se debate no conflito
entre o desejo e a palavra.
Renunciaria ao corpo,
ou, desesperado de esperança,
com lascívia e furor abraçaria
a memória do prazer?
A quem mais
Daria voz?
À textura essencial da pele,
ou ao texto mudo
da fala gaga e impotente?

A quem mais amaria?
as velhas palavras de sempre,
ou a selvagem vertigem da carne?

(...)


_____
Nikos Kazantzakis

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Lady...

    Entre a palavra e o desejo, existe a selvagem vertigem da carne...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LIVROS QUE DESEJO!